28 de junho de 2013

Abelhas geram renda extra e elevam produtividade agrícola


Ascom Senar-PB

A apicultura tem potencial para ser fonte de renda alternativa ao produtor rural, aumentando o aproveitamento econômico da sua propriedade. Um dos seus principais benefícios está no incremento da produtividade a partir da polinização.
De acordo com Breno Freitas, professor do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal do Ceará, a maioria das plantas cultivadas necessita da visita de seres vivos as suas flores para a transferência de pólen entre elas. Quanto mais visitas, maior será o vingamento dos frutos e a produtividade do cultivo. “As abelhas são os principais polinizadores”, explica.
Dependendo da cultura, a polinização pode aumentar a produção em 10% (no caso do feijão), 75% (melão e melancia), 80% (maçãs) e até superar os 100% (maracujá e kiwi), indica o pesquisador.
Outras culturas beneficiadas são: morango, laranja, café, caju, mirtilo, açaí, canola, maçã, abacate, framboesa, amêndoas, macadâmia, cebola e cenoura (para produção de sementes), segundo Vera Lúcia Imperatriz Fonseca, professora da Universidade de São Paulo e professora visitante pelo CAPES na Universidade Federal Rural do Semi-Árido/RN.
“Há plantas que podem ser polinizadas pelo vento ou que produzem frutos sem as abelhas, mas estas permitem uma colheita melhor e maior rendimento por hectare”, afirma.
Para ela, o produtor rural deve considerar não apenas a apicultura (que trata da abelha Apis mellifera), mas também as abelhas em geral (solitárias e sociais) e a manutenção de áreas naturais ao redor das culturas. Estudo recente sobre a importância econômica de áreas verdes ao redor da plantação de canola, orientado pela professora Betina Blochtein, da PUC-RS, revelou ganhos de produtividade da oleogionosa superiores a 50%.
Ganhos
Um dos principais benefícios da apicultura na propriedade rural é que ela não interfere nas demais atividades. “As abelhas exploram recursos normalmente disponíveis e que não são aproveitados nas outras atividades agropecuárias mais convencionais, como é o caso das flores das plantas cultivadas e silvestres”, afirma Freitas.
Os ganhos não param por aí. Conforme o professor, a criação de abelhas não é cara em comparação com outras atividades rurais: o apiário ocupa uma área pequena e não demanda grandes gastos com infraestrutura e equipamentos. Depois, o produto final, além de ter boa aceitação no mercado, pode ser armazenado para comercialização na entressafra, já que é imperecível.
Recomendações
Para incluir a apicultura na propriedade, recomenda Freitas, a primeira ação é realizar um curso de apicultura com profissionais competentes. Como em qualquer empreendimento, há custos, riscos e demanda de serviços que devem ser compreendidos.
A capacitação visa também a garantir o manejo adequado das abelhas, já que esses insetos reagem aos estímulos de forma bem diferente dos demais animais da propriedade. Por segurança, a montagem do apiário precisa ser feita a pelo menos 300 metros de outra instalação e de estradas movimentadas. O acesso, indicado o pesquisador, deve ser cercado, com o intuito de evitar que animais e desavisados se aproximem das colmeias.

Fonte: GHX Comunicação/ Brasil Rural