8 de julho de 2014

Barragem subterrânea traz solução para o semiárido


Ascom Senar-PB

A construção de barragens subterrâneas em municípios da Paraíba atingidos pela seca se tornou uma nova alternativa para produtores rurais que fazem parte do Sertão Empreendedor. Operacionalizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-PB) e Serviço Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-PB), o projeto vem mudando a realidade de mais de 120 famílias em seis cidades do estado.
A implantação de nove barragens subterrâneas em Juazeirinho, município a 217 km da capital, trouxe água para agricultura e criação de animais que garantem o sustento de famílias. A nova solução de reserva estratégica das chuvas é uma das linhas de ação do Sertão Empreendedor, em que o produtor pode produzir alimento animal, humano e utilizar para consumo.
Segundo o coordenador do Sertão Empreendedor na Paraíba, Johnbel Paiva, a barragem é uma tecnologia alternativa de captação e armazenamento de água da chuva no interior do solo, instalada em pontos estratégicos do terreno, onde escorre o maior volume de água. “Para sua construção, é necessário escavar uma vala até a profundidade mais rígida do solo. Dentro dela, estende-se um plástico por toda a extensão da parede e a vala volta a ser fechada com terra. A lona impermeável barra o escorrimento da chuva e provoca a sua infiltração no solo, o que reduz a evaporação. Ali, a umidade do solo se prolonga por longo período, até a seca no semiárido. A alternativa é um açude de cabeça para baixo”, resumiu.
Um dos produtores de Juazeirinho que foi beneficiado pelo programa com a nova alternativa é José Odon de Macedo. Segundo ele, com a seca não tinha alimento para o gado e buscava alternativas que diminuíssem as perdas dos rebanhos. “Implantei minha barragem há quatro meses e já tenho resultados positivos com o armazenamento de água das chuvas. Já plantei nas áreas próximas à nova tecnologia e estou aproveitando a época para me preparar para estiagem”, disse o produtor. Ainda segundo ele, graças ao trabalho de assistência técnica oferecida pelo Senar-PB, foram evitadas perdas de tempo e dinheiro. “Tinha muita dificuldade para encontrar um profissional que pudesse oferecer direcionamento, produzia de maneira incorreta até conseguir acertar. O Senar-PB me apoiou com esta parceria e a assistência foi a salvação”, confessou.
Através do acompanhamento mensal de um técnico que visita as propriedades cadastradas no programa, os produtores estão na fase de aproveitar a água das chuvas para utilizar durante o período de estiagem em agosto e setembro. “Minha barragem tem capacidade de atender meu rebanho de 300 caprinos e ovinos durante os meses mais secos do ano”, disse José Odon satisfeito com a nova solução.
Outras propriedades já estão implantando barragem subterrânea, como em Santo André, na Paraíba. No município, já existem cinco delas que foram construídas no início do ano, ao total, são 14 barragens em todo estado. De acordo com o coordenador do programa no Nordeste e presidente do Sistema Faepa/Senar-PB, Mário Borba, um dos objetivos do Sertão Empreendedor é levar esta real alternativa para todos os municípios que sofrem com a falta de água. “Vemos esta nova tecnologia junto com uma boa assistência técnica, a solução para os problemas provocados pela estiagem. Queremos fazer da Paraíba um exemplo de avanço para todo o Nordeste”, resumiu Borba.
Dentro do projeto do Sertão Empreendedor será realizado no próximo dia 10 de julho um “Dia de Campo” em Juazeirinho para mostrar a utilização da barragem a produtores de regiões vizinhas. Na ocasião, acontecerá colheita de sorgo forrageiro plantado na área da barragem para produção de silagem nos métodos cincho e trincheira, comprovando a eficácia desta tecnologia.
O Sertão Empreendedor iniciou no segundo semestre de 2013 oferecendo novas tecnologias e qualificação profissional para produtores das cadeias de bovinocultura e caprinocultura de leite em Cajazeiras, Catolé do Rocha, Piancó, Santa Luzia, Juazeirinho e Campina Grande. A partir de agosto, o projeto abrangerá avicultura alternativa e suinocultura e serão realizadas 18 turmas que beneficiarão 360 produtores. O programa tem duração de quatro anos e a meta é atingir 43 municípios em todo estado até 2017, o que vai gerar maior produtividade, empreendedorismo e mudança de atitude.
Assessoria de comunicação Faepa/Senar-PB