3 de julho de 2013

Carne de bode faz sucesso nos cardápios juninos da Paraíba


Ascom Senar-PB

Embora seja possível encontrar, no Parque do Povo, em Campina Grande/PB – onde acontecem os festejos juninos-, comidas mexicanas, japonesas e árabes, o que predomina mesmo é a culinária regional, com muita oferta de pratos onde os ingredientes costumam ser bem típicos, como a carne de sol e de charque, queijo de coalho, xerém, feijão de corda, além, é claro, do milho, com o qual são preparadas as tradicionais pamonha e canjica. Mas quem tem se destacado mesmo é a carne de bode.
No Bodódromo, por exemplo, uma das especialidades da barraca é o espetinho de carne de sol de bode, de linguiça de bode ou de carne de cordeiro. A carne de bode é bastante consumida pelos nordestinos assada, cozinha, em forma de picado ou linguiça. Alex Silva de Sousa, que mora em São Paulo e está trabalhando em um estande montado no Parque do Povo, tem parentes da Bahia e já conhecia algumas comidas típicas do Nordeste, mas ainda não tinha comido a carne de sol de bode e resolveu provar. “Está aprovada”, disse ele, depois de experimentar o espetinho.
Na Barraca da Mara, o bode também tem lugar especial no cardápio, sendo servido picado. Além disso, outras delícias regionais fazem a cabeça -e encantam o estômago- dos visitantes. A proprietária, Mara Matias, garante que seu estabelecimento tem, por exemplo, o melhor rubação do mundo. Trata-se de um prato que leva ingredientes como feijão, queijo de coalho e carne de charque, é um dos mais procurados, mas não é o único.
No local, podem-se degustar ainda delícias regionais como galinha com arroz mole, arrumadinho, xerém e cuscuz, além de pamonha e canjica. “Quem vem de fora, principalmente, quer conhecer a nossa cultura e é uma oportunidade também para divulgarmos nossos sabores”, argumenta Mara.
Outra delícia, originária da culinária indígena, mas adotada pelos nordestinos é a tapioca, que na Esquina da Tapioca, é vendida com diferentes tipos de recheios. “Mas, as que mais saem são as tapiocas recheadas com carne de sol, carne de charque ou coco ralado”, explicou Ilka Ferreira, responsável pela produção das tapiocas. E não são só as tapiocas que atraem os turistas, mas também chama a atenção deles a forma como elas são feitas. Todo o processo manual, feito com goma, chega a ser fotografado pelos turistas. “Não conto as vezes em que tiraram fotos minhas enquanto eu fazia as tapiocas”, comenta Ilka.
No pavilhão do Restaurante Tábua de Carne, um dos pratos mais procurados, tanto por quem mora na cidade quanto pelos turistas, é a delícia de macaxeira, nome dado na região ao aipim, que pode ser feita com carne de sol ou carne de charque. “Depois da delícia de macaxeira, o prato mais vendido é o arrumadinho”, informou a operadora de caixa Cibele Silva. Na delícia de macaxeira, ela é feita em forma de purê com a carne desfiada e leva ainda ingredientes como queijo de coalho ralado.
Fonte: Adaptada pela Equipe Capril Virtual com informações Notícias da Cidade