23 de fevereiro de 2015

Caso de sucesso que atravessou o país


Ascom Senar-PB

Eles saíram da região Sudeste e Centro-Oeste com a intenção de expandir o agronegócio para o Nordeste, com foco na Paraíba e Bahia. Há quase 30 anos, as famílias Reami e Weisheimer possuem vivência no setor rural e novas gerações tomam a frente da WR Agronegócios, empresa da família.
A empreitada começou na Bahia, mas há cinco anos eles se instalaram em Mulungu, município há pouco mais de 90 km da capital, João Pessoa. A experiência no setor e a agricultura de precisão utilizada fazem da empresa caso de sucesso na Paraíba. A primeira tentativa positiva foi com a plantação de 200 hectares de milho sequeiro no município que possui índices pluviométricos de 1000 milímetros de chuvas por ano. Através da análise do solo e pesquisas pluviométricas na região, o negócio deu certo.
Como diferencial, a WR investiu em tecnologia no campo e fez um planejamento do negócio. “Em 2010, trouxemos parte do maquinário utilizado na Bahia para fazer o teste com a plantação de milho sequeiro, o que para a WR é pequeno, mas para o estado é muito. Afinal, não temos produção deste porte aqui. Além disso, começamos com um plano empresarial com a meta de em 10 anos, atingirmos 10 mil hectares”, disse um dos sócios, Maurício Reami.
Ainda segundo a empresa, a produção mensal é de oito mil quilos de milho por hectare. Hoje, a área total plantada é de 1120, o que gera a fabricação de 120 sacas. Os maiores compradores do produto da WR são indústrias paraibanas que a cada ano aumentam suas demandas sob o produto primário. “Já temos o feedback destas empresas e o quanto formos capazes de produzir, elas possuem interesse em adquirir nosso produto. Por exemplo, por enquanto só conseguimos oferecer 10% de milho para um de nossos clientes do montante de 100% que ele precisa”, disse Jonatan Weisheimer, sócio do negócio.
Atividade muda realidade do município
Além de possibilitar o aumento do PIB da cidade, o agronegócio encabeçado pelos Reami e Weisheimer, gera renda direta para mais de 20 famílias da região durante a safra e mantém 10 funcionários fixos nos demais períodos do ano.
Segundo Jonatan Weisheimer, a produção não só aumentou o nível econômico da cidade, como trouxe mais renda para o estado. ”Só de Mulungu produzir em torno de 100 mil sacas de milho, você imagina como o agronegócio mudou a realidade da cidade no termo de produtividade, arrecadação e emprego. O município não era conhecido por produção na agricultura”, falou.
Este ano, o Senar-PB realizou em parceria com a WR Agronegócios o 3º Dia de Campo para colheita do milho. O evento que acontece há dois anos na Fazenda Bonança, uma das propriedades da família, reuniu mais de 500 produtores rurais da região para demonstrar a colheita utilizando tecnologias avançadas.
O objetivo anual do encontro é divulgar a cultura do milho sequeiro na Paraíba e mostrar que é possível produzir em larga escala mesmo na região do agreste, que possui irregularidades pluviométricas. A cada edição, o Dia de Campo reúne mais produtores interessados em conhecer a lavoura e técnicas que melhoram a qualidade do produto final e se antecipam às adversidades climáticas.
Assessoria de Comunicação Sistema Faepa/Senar-PB
(83) 3048-6073/6050
facebook.com/faepasenarpb
imprensa@senarpb.com.br