13 de outubro de 2014

Dia de Campo reúne cerca de 500 produtores rurais em Mulungu


Ascom Senar-PB

No último sábado (11), o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural da Paraíba (Senar-PB), realizou em parceria com a WR Agronegócios, o 3º Dia de Campo da Cultura do Milho, na Fazenda Bonança, em Mulungu. Na ocasião, cerca de 500 produtores rurais participaram de cinco estações sobre a cultura do milho e tiveram a oportunidade de conhecer uma propriedade que utiliza tecnologia para produção em larga escala.
Além de produtores rurais da região, o Senar-PB levou participantes dos Programas Balde Cheio e Sertão Empreendedor que nunca tiveram a oportunidade de ver uma produção de milho de sequeiro em alta escala no agreste da Paraíba. Para o gestor do Balde Cheio, Domingos Lélis, esse tipo de evento proporciona que os produtores tenham uma visão prática do que eles aprendem na teoria durante os programas que participam. “Além de oferecermos todo o material didático e assistência técnica, queremos aproximar os produtores cada vez mais desta realidade: a grande produção, para que possamos ter mais mudança de atitude e para que eles encarem suas propriedades como verdadeiros negócios. Nossa intenção é prepará-los para isto”, resumiu.
Um dos produtores do Balde Cheio que participou do Dia de Campo foi Givanildo dos Santos. Com criação de suíno e produção de leite, foi a primeira vez que o empreendedor rural participou de um dia de campo deste porte. “Foi muito interessante conhecer a plantação, o manuseio e a colheita do milho utilizado para alimentação animal. Nós que temos criação de gado de leite precisamos aprimorar nossas plantações, vendo a maneira correta de trabalhar para termos resultados no futuro. Vou levar vários conhecimentos para minha propriedade, entre elas, a adubação”, disse.
Já a estudante de agronomia da Universidade Federal da Paraíba – campus Areia, Mariana Neves, foi uma das alunas que fez questão de conhecer a produção da Fazenda Bonança para aprofundar seus conhecimentos técnicos como futura profissional. “Muito gratificante ver que na Paraíba temos esta produção. Isto serve como um estímulo para que os estudantes queiram ficar no estado, ver o nosso estado trabalhando uma grande cultura é muito motivador. Estamos realizados em vivenciar este dia já que o nosso estado não tem tantas produções de milho de sequeiro, principalmente no agreste”, falou.
Assessoria de Comunicação Faepa/Senar-PB