6 de janeiro de 2014

Embrapa ensina como fazer adubo orgânico 100% vegetal


Ascom Senar-PB

Os adubos orgânicos, em sua maioria, utilizam esterco bovino e cama de aviário que, além de difícil obtenção e custo elevado, podem apresentar problemas de contaminação química e biológica. Mas a Embrapa Agrobiologia, de Seropédica no Rio de Janeiro, desenvolveu uma tecnologia para produção de adubos e substratos orgânicos de origem 100% vegetal.
– O composto pode ser produzido tanto em grande escala como na pequena propriedade rural, já que utiliza um processo simples, que não necessita de grandes investimentos em infraestrutura – explica o pesquisador da Embrapa Marco Antônio Leal, que desenvolveu a tecnologia.
Segundo o pesquisador, os fertilizantes orgânicos e substratos obtidos a partir deste processo apresentam qualidade superior aos similares encontrados no mercado e podem ser utilizados também na agricultura orgânica.
– Esses produtos são isentos de contaminação biológica, não utilizam adubos minerais e o seu custo pode ser muito inferior – relata Leal.
Compostagem
A compostagem é um processo natural onde os resíduos da propriedade passam por uma transformação biológica e tornam-se fertilizantes orgânicos ou húmus. Neste processo biológico há uma decomposição da matéria orgânica contida em restos de origem animal ou vegetal. O resultado final da compostagem é o composto orgânico, que pode ser aplicado ao solo para melhorar suas características, sem ocasionar riscos ao meio ambiente.
Os principais benefícios da compostagem são: estímulo ao desenvolvimento das raízes das plantas, que se tornam mais capazes de absorver água e nutrientes do solo; aumento da capacidade de infiltração de água, reduzindo a erosão; mantém estáveis a temperatura e os níveis de acidez do solo (pH);dificulta ou impede a germinação de sementes de plantas invasoras (daninhas); ativa a vida do solo, favorecendo a reprodução de microrganismos benéficos às culturas agrícolas.

Fonte:Rural Centro e  Embrapa

Para divulgar a tecnologia, a Embrapa Agrobiologia produziu um vídeo didático, em parceria com a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e Pesagro-Rio. O vídeo tem duração de 15 minutos e mostra a produção passo a passo.