24 de abril de 2013

Irrigação é opção de combate à pobreza extrema no meio rural


Ascom Senar-PB

“No meio da pobreza do Semi Árido no Norte do país, um verdadeiro oásis faz florescer e frutificar hortas e pomares”, destaca Lino De David, presidente da Emater/RS e superintendente geral da Ascar, ao analisar recente viagem ao interior do Piauí, onde foi comprovada a eficácia de um sistema de irrigação com tecnologia desenvolvida em Israel, para onde viaja nesta semana, em comitiva do Governo do Estado (de 25/4 a 2/5/13).
“No Piauí, dois mil hectares em pequenas propriedades estão irrigados com tecnologia de baixo custo”, diz De David, ao antecipar sua expectativa de, a partir de contatos com o governo de Israel e fabricantes dos chamados kits de irrigação, destinar essa tecnologia às pessoas que vivem no Rio Grande do Sul em situação de pobreza extrema.
“A agricultura do futuro é a que terá capacidade de investir em tecnologias, desenvolvendo a economia dos agricultores que até então se mantiveram as margens de programas e políticas públicas de investimentos”, observou o dirigente.
A tecnologia eficaz e de baixo custo será implantada no Rio Grande do Sul, em especial para o público dos programas RS Mais Igual e Brasil Sem Miséria, que buscam a inclusão social e produtiva de milhares de famílias. Somente no Bolsa Família, o Rio Grande do Sul possui 135 mil famílias cadastradas. “Ao ampliarmos nossa atuação para a área social, fortalecemos nosso desafio de buscar a estruturação das propriedades, por mais carentes que sejam”, afirmou.
Segundo De David, através do RS Mais Igual, a Emater/RS-Ascar está negociando o aumento de mais 10 mil famílias, além das seis mil atendidas desde o ano passado (2012), sendo que cada família recebe R$ 2.400,00 em investimentos produtivos na propriedade. “No RS, a Emater tem convênio com 385 prefeituras na intervenção social, especialmente no combate à pobreza”, diz.
Quanto à viagem da comitiva do Governo do Estado para Israel e Palestina, De David espera afirmar, com o Governo do Estado, acordo de cooperação técnica, intercâmbio técnico e conhecimentos de tecnologias na área da irrigação e na produção de oliveiras. “Nossa expectativa é avançarmos na busca de soluções para garantirmos a produção, num primeiro momento de subsistência, dessas famílias em situação de pobreza no meio rural do nosso Estado”, finaliza De David. 
Fonte: Emater/RS-Ascar