18 de agosto de 2014

PER forma jovens de quatro cidades da PB


Ascom Senar-PB

Aconteceu na última sexta-feira (15), em Campina Grande, o Seminário de apresentação de projetos dos alunos concluintes do Programa Empreendedor Rural (PER) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-PB). Na ocasião, foram entregues os certificados dos cursos às turmas dos municípios de Lagoa Seca, Taperoá, Umbuzeiro e Picuí. O evento foi no auditório da Fiep, às 9h.
Além da entrega de certificados, durante o Seminário alunos e professores prestaram depoimentos sobre as mudanças ocorridas após a capacitação. Para o aluno Igor Rafael de Azevedo, da turma de Picuí, “Foi um conhecimento a mais, trabalho na agricultura e curso agroecologia, mas aprimorei meu conhecimento. Sou membro de uma família rural e já passei alguns conhecimentos para meu sogro, inclusive”, disse.
Ainda segundo o aluno que apresentou o seu projeto no Seminário, a questão do planejamento é fundamental para que a propriedade tenha rendimento. “Muitos produtores fazem empréstimos sem planejamento e ficam endividados, a intenção é mostrar ao pessoal como é importante planejar”, falou.
Após o curso, com a ideia de já abrir o seu negócio, Igor pretende implantar a criação de abelhas sem ferrão, para exploração de mel e própolis. Além disso, inserir o cultivo de plantas frutíferas, como laranja, limão e caju. Segundo ele, a ideia é tornar a propriedade viável financeiramente com baixo custo.
O Programa
O Empreendedor Rural operacionalizado pelo Senar-PB estimula o empreendedorismo em homens e mulheres do campo. Durante as aulas, os alunos aprendem a se tornar verdadeiros líderes no meio rural. Além disso, o PER ensina a calcular custos do processo produtivo e a elaborar projetos para que os alunos passem a administrar suas propriedades com eficiência, como se fossem verdadeiras empresas.
O curso é desenvolvido em uma carga horária de 136 horas, distribuídas em um encontro semanal, onde os alunos avaliam o que foi realizado e implantado em suas propriedades. De volta à sala de aula, eles apresentam para todos os demais quais foram as mudanças significativas que trouxeram melhorias. De acordo com a gestora do PER no Senar-PB, Véra Figueiredo, o principal objetivo do programa é proporcionar uma visão mais clara da economia local. “Durante o curso o aluno percebe a importância da sua atividade e a relação dela com os demais setores da economia paraibana e brasileira, proporcionando assim, a melhoria da sua qualidade de vida e da família”, disse.
O programa possui cinco fases: diagnóstico, planejamento estratégico, estudo de mercado, engenharia de projetos e avaliações e, em cada uma delas, são tratados módulos que dão suporte teórico e prático aos produtores. Ao todo são 15 módulos específicos e direcionados a cada fase do projeto, abordando áreas de conhecimento técnico e de desenvolvimento humano.
Ao longo do curso são transferidos aos empreendedores rurais, conceitos que abrangem a área técnica necessária à elaboração do projeto, além de trabalhar o lado pessoal, interpessoal, social e humano dos participantes. Entre os temas que ajudam na construção dos novos empreendedores, estão: autoestima, cidadania, liderança, competências pessoais e grupais, habilidades sociais, formas de comercialização, custos de produção, planejamento estratégico, noções de legislação trabalhista, ambiental, sucessão familiar, fluxos de caixa e outros conceitos.
Para participar do Programa, o aluno deve atender aos pré-requisitos de possuir segundo grau completo, idade mínima de 18 anos e ser ligado ao meio rural. No último quesito, o aluno pode ser proprietário ou arrendatário de terras ou possuir propriedade na família, trabalhador rural ou prestador de serviço para o meio.
Assessoria de Comunicação Faepa/Senar-PB