27 de fevereiro de 2015

Rede e-Tec Brasil no Senar entra em ação na Paraíba


Ascom Senar-PB

Dois polos na Paraíba recebem o primeiro Curso Técnico em Agronegócio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), que tem sua aula inaugural neste sábado (28), simultaneamente em 17 polos de apoio presencial, distribuídos por oito estados (Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Santa Catarina, Sergipe, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro). Para os primeiros 1.250 alunos selecionados em todo país, a perspectiva não poderia ser mais animadora. “O processo de formação do Senar na Rede e-Tec Brasil vai abrir caminhos para o sucesso profissional desses jovens no setor que sustenta a economia do nosso país. Esperamos que todos arregacem as mangas, se dediquem muito e se comprometam com a aprendizagem para aproveitar, ao máximo, a oportunidade de fazer um curso de qualidade, totalmente gratuito”, afirma João Martins, presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Conselho Deliberativo do Senar.
Já para o superintendente do Senar Paraíba, Sérgio Martins, o programa chegou no momento em que a instituição aposta em todo ciclo educacional. “Já ofertamos cursos de atualização e formação profissional, agora vamos atuar em ensino técnico e o próximo passo é oferecermos graduação e pós-graduação. Assim, a regional passará a contribuir para a expansão da educação em todo estado e em diferentes níveis”, disse.


O presidente da CNA, Dr. João Martins se preocupa com a educação rural


O secretário executivo do Senar Nacional, Daniel Carrara, vai além. “Os profissionais que vão ser formados pela Rede e-Tec Brasil no Senar neste curso inicial já têm mercado de trabalho garantido em nosso próprio Sistema”. O secretário prevê a absorção dos alunos pelo Programa de Assistência Técnica e Gerencial com Meritocracia, criado pelo Senar em 2013 para ajudar a sanar a lacuna existente na área. Segundo o último Censo Agropecuário realizado pelo IBGE, apenas 9,3% dos produtores rurais recebem visitas regulares de órgãos governamentais de assistência técnica.
“Oferecer a assistência técnica, aliada à formação, sempre foi uma meta do Senar e, pra isso, precisamos investir na educação profissional” – explica Daniel Carrara. Segundo ele, atualmente, o Senar conta com dois mil técnicos em campo, assessorando os produtores rurais. “Precisamos de mais técnicos, precisamos de pessoas para orientar adequadamente o produtor”.
Com o início deste seu primeiro curso de nível técnico, à distância, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural ingressa efetivamente na educação formal, participando do programa Rede e-Tec Brasil do Ministério da Educação. O curso Técnico em Agronegócio, com duração de dois anos, é gratuito e voltado para a realidade do campo, tanto no que diz respeito ao conteúdo como na formatação.
A maioria das aulas é à distância, mas com encontros presenciais ao longo dos semestres e calendário definido nos polos. As atividades serão mediadas pelo tutor no Ambiente Virtual de Aprendizagem – AVA do Senar. Os alunos também recebem materiais de apoio, como DVD com videoaulas e apostilas impressas de cada disciplina. As atividades presenciais acontecem nos polos de apoio presencial e nas saídas de campo, ambas com supervisão da tutoria presencial.
 


Alunos poderão ter mais chances no mercado de trabalho


Mais educação, mais riqueza
Tanto para o MEC como para o Senar, o início das aulas do Curso Técnico em Agronegócio pela Rede e-Tec marca a largada de um processo de democratização do ensino formal nos campos brasileiros. Uma ação que o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, Marcelo Feres, considera fundamental para o desenvolvimento do país. “Estamos vivendo um momento importante de expansão da educação profissional, oferecendo cursos voltados para a realidade do campo, a realidade do setor agropecuário, cursos que atendem ao público de um setor que é estratégico para o desenvolvimento do país”. Para Marcelo Feres, o Senar é o parceiro ideal para esta empreitada. “O Senar é uma rede importante, com tradição de formação no Brasil rural e já vem participando conosco do Pronatec desde o início da implantação do programa”.
Carlos Artur Arêas, coordenador geral de Fortalecimento dos Sistemas Públicos de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, também considera fundamental a aliança com o Senar para expansão do ensino de nível médio no campo. “Esperamos que a qualidade aplicada em todas as ações do Senar no Pronatec seja agora replicada na Rede e-Tec Brasil, e que ele seja um parceiro não só na execução, mas também no planejamento, desenvolvimento e na construção do projeto que a gente imagina pra educação a distância, o ensino técnico e a educação profissional no Brasil”.
Existe hoje o consenso de que a educação é um “calcanhar de Aquiles” para o desenvolvimento nacional e, em se tratando do setor agropecuário, ela é ainda mais vital para a economia. “O setor é responsável por um terço dos empregos do nosso país, um terço do Produto Interno Bruto (PIB) e pela segurança da nossa balança comercial” – observa o secretário executivo do Senar. Para ele, não há como seguir avançando sem a profissionalização do agronegócio. “Existe hoje um nível de tecnologia que demanda mais do que treinamentos operacionais. O setor rural precisa se profissionalizar em termos de gestão. Precisamos de pessoas preparadas e é esse ganho de qualidade que o Senar está trazendo para a agropecuária”.
 


Sérgio Martins, superintendente do Senar-PB, quer investir no jovem em 2015


Mais qualidade para a educação no campo
Com a experiência acumulada ao longo de 24 anos atuando na promoção social e qualificação profissional, o Senar é considerado atualmente a maior escola aberta do planeta, já que grande parte das ações acontece em campo. Suas administrações regionais estão presentes em todas os estados, alcançando, a cada ano, mais de 1 milhão de brasileiros ligados à terra. Para levar o conhecimento às localidades mais remotas do país, desde 2009, o Sistema atua também na educação à distância e, em 2011, estabeleceu com o MEC a parceria que já garantiu a capacitação de 90 mil homens e mulheres do campo pelo Pronatec.
Enquanto expande suas fronteiras, o Senar também investe na qualidade do ensino que oferece. Trilhando um novo caminho, a partir de 2013, iniciou a implantação de escolas e centros de excelência especializados em diversas cadeias produtivas. As novas unidades vão operar como uma rede integrada de educação presencial, oferecendo cursos técnicos de nível médio e cursos tecnológicos de nível superior. Segundo Daniel Carrara, a participação na Rede e-Tec Brasil é mais um avanço do Senar rumo à meta de garantir melhor qualidade de vida do Brasil rural. “Precisamos democratizar o crescimento da renda no setor rural e isso só é possível com a formação profissional”.
Assessoria de Comunicação Sistema Faepa/Senar-PB com informações da Ascom Senar Nacional
(83) 3048-6073/6050
facebook.com/faepasenarpb
imprensa@senarpb.com.br