8 de outubro de 2014

Regionais do SENAR se prepararam para elaborar currículos


Ascom Senar-PB

Técnicos e pedagogos das nove regionais que vão sediar os Centros de Excelência do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR) estão reunidos na sede do Sistema CNA/SENAR, em Brasília, para participar de uma capacitação que tem como finalidade prepará-los para a elaboração dos currículos dessas unidades. O evento – que reúne representantes do Ceará, Bahia, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Goiás, Tocantins e Distrito Federal – começou nesta terça-feira e segue até o dia 9 de outubro. Integrantes das equipes técnicas do Departamento de Inovação e Conhecimento (DIC) e do Departamento de Educação Profissional e Promoção Social (DEPPS) também participaram do treinamento.
Na abertura do encontro, o secretário executivo do SENAR, Daniel Carrara, destacou a importância da capacitação dentro do projeto dos Centros de Excelência. Segundo Carrara, o principal propósito é oferecer empregabilidade aos alunos formados nos Centros e que eles sejam disputados no mercado, mas isso requer um novo desafio para os profissionais da entidade: ser administradores de escolas.
“É muito importante que essa parte curricular seja bem feita. Não adianta o prédio estar bonito e o instrutor bem formado se o que ele vai ensinar não corresponde ao que o nosso setor precisa. Essa fase, na minha concepção, é a mais importante porque isso vai servir para o País todo. Se alguém em Santa Catarina, um dia, quiser fazer um curso baseado nas cadeias produtivas que nós estamos propondo, já está pronto. Agora, todos fazem parte de uma rede nacional de Centros de Excelência”, declara Daniel Carrara.
A coordenadora de Educação Formal do DIC, Maria Cristina Ferreira, tem a mesma opinião e considera essa etapa o “coração” do processo pedagógico, pois é nesse momento que será definida a metodologia para a formação de competências de acordo com o perfil profissional identificado pelos Comitês Técnicos Nacionais de cada cadeia produtiva, reunidos anteriormente. “Os técnicos vão estabelecer o conteúdo que precisa ser trabalhado e o pedagogo definirá como isso deve ser feito. Esse trabalho em conjunto é fundamental. Dessa maneira, esperamos formar alunos com capacidade para atender o que o mercado rural exige”, ressalta.
A capacitação tem carga horária de 24h e, no final, será organizado um cronograma para que cada Centro de Excelência elabore o seu currículo. As ações serão acompanhadas pelo DIC através de visitas técnicas. Todos os participantes receberão um certificado de conclusão do treinamento.
Alinhamento é essencial
Na opinião do coordenador da Unidade de Inovação e Conhecimento do SENAR de Mato Grosso do Sul, Roberto Murillo Mathias Costa Júnior, por se tratar de um projeto inovador, o alinhamento de ações e a troca de informação são fundamentais para o sucesso dos Centros de Excelência. “Todos os Estados poderão ter uma metodologia similar e isso vai facilitar os esforços”, acredita.
Para ele, o maior desafio será a necessidade de adequação de perfil dos profissionais envolvidos, que precisarão ter conhecimento não só pedagógico, mas também de gestão e organização para se tornarem “gestores de escolas”. “É a criação de uma nova estrutura que o SENAR não estava acostumado, com uma nova metodologia de trabalho”, lembra Júnior. Mato Grosso do Sul sediará dois Centros de Excelência: um sobre Bovinocultura de Corte e outro de Cana-de-açúcar.
A implantação das unidades vai exigir esforços principalmente na parte de gestão, já que os Centros de Excelência serão unidades operacionais do SENAR, salienta a gestora do Departamento de Projetos de Inovação do SENAR de Goiás, Rosilene Jaber. Na visão dela, o treinamento é o momento de afunilar o que já foi proposto e dar um encaminhamento único ao projeto. “Fazer o nivelamento nacional será outro grande desafio. Precisamos organizar a parte curricular para atender o perfil do profissional demandado e chegar na sua formação completa”.
Centros de Excelência
O SENAR vai implantar 10 Centros de Excelência em Educação Profissional e Assistência Técnica Rural para atender as principais cadeias do agronegócio brasileiro. Serão construídas unidades nacionais voltadas para: Cafeicultura (Minas Gerais); Cana-de-Açúcar e Bovinocultura de Corte (Mato Grosso do Sul); Grãos, Fibras e Oleaginosas (Mato Grosso); Ovinocaprinocultura (Ceará); Fruticultura (Bahia); Palma de Óleo (Pará); Bovinocultura de Leite (Goiás); Gestão e Empreendedorismo (Distrito Federal) e Florestas (Tocantins).
O principal objetivo dos Centros de Excelência é contribuir para a competitividade e o desenvolvimento do setor agropecuário brasileiro através da qualificação profissional de produtores e trabalhadores rurais, da capacitação de técnicos para atuar na assistência técnica rural, da formação de técnicos de nível médio e do incentivo à pesquisa, ao empreendedorismo e inovação.
Assessoria de Comunicação do SENAR