9 de outubro de 2018

Silagem prepara produtores para enfrentar períodos de seca


Ascom Senar

A produção e reserva alimentar para os rebanhos é vital da sobrevivência quando a colheita fica escassa, como em períodos de seca estiagem. A ensilagem é uma prática que conserva ao máximo o valor nutritivo original da forragem e é ensinada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural da Paraíba há mais de 15 anos.

Um dos beneficiados do curso foi Estercel Porto, produtor rural na cidade de Nova Floresta, no Curimataú paraibano. “Eu não tinha noção de nada, já cheguei a vender os animais na seca porque eu não sabia o que dar. Eu tinha o alimento todo aqui, mas não utilizava por falta de conhecimento. Quando chegava a seca nós não sabíamos o que fazer, mas como fiz o curso a última seca não foi um problema para mim”, contou.

Estercel fez o curso de ensilagem do SENAR há 10 anos e desde então não teve mais problemas na alimentação dos seus animais. Na última seca , o produtor tinha 150m² de maniçoba para ensilar e utilizar nos momentos de estiagem. De acordo com ele, se houver mais uma seca, ele consegue alimentar seus 22 animais por 8 meses apenas com o que ele tem guardado.

Já para a produtora Quitéria dos Santos, a seca prejudicou toda sua produção. Seu sítio, em Cubati, não estava preparado para a estiagem e ela viu o trabalho de anos sumir com a falta de alimentos para seus animais.

“A seca foi terrível, mas não acho que passamos sacrifícios. Nesses últimos anos, a maioria das coisas que consumimos veio da cidade e essa não é uma boa opção para quem trabalha com o campo. Acredito que esse ano será diferente porque está chovendo e vamos fazer nossa produção de novo”, explica ela.

Quitéria começou a receber assistência técnica do Projeto de Desenvolvimento Sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú (Procase) em parceira com o Senar. O técnico monitora a gestão do produtor e informa de como manter os animais e a propriedade.

“Os resultados são a longo prazo e nosso trabalho começou com o final do inverno. A principal ação que faremos agora é produzir silagem, armazenamento de forragem para não sofrer tanto como no passado”, explica o técnico Tarcísio Freitas.

Boas práticas para a ensilagem:

  1. Começar o preparo no final do inverno com a forragem disponível
  2. Utilizar gramíneas (milho, sorgo, capins) ou leguminosas (maniçoba, feijão, palma)
  3. Picar a planta e armazenar em local seco, livre de ventilação para auxiliar no processo de fermentação
  4. Esperar no mínimo três meses para que o processo de fermentação esteja completo
  5. Utilizar a forragem silada entre 1 a 3 anos, dependendo da planta utilizada
  6. Assessoria de Comunicação Sistema Faepa/Senar-PB
    (83) 3048-6050
    facebook.com/faepasenarpb
    senarpb.com.br