19 de fevereiro de 2019

Técnicos da ATeG do Senar Paraíba participam de Dia de Campo sobre iLPF


Ascom Senar

Cerca de 30 técnicos de campo ligados à Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Senar participaram do ‘Dia de Campo’ realizado pela instituição, em parceria com a Embrapa e Empaer, nesta terça-feira (19), na Estação Experimental de Alagoinha, no Agreste paraibano. A maioria deles com atuação em cadeias da pecuária.

No evento foram divulgadas tecnologias e práticas com foco no sistema de Integração Lavoura, Pecuária e Floresta (iLPF), como a recuperação e fixação de nutrientes no solo, a implementação de pastagens adequadas ao semiárido e plantio de variedades como moringa e sabiá para criação de áreas de sombra e minimização do efeito erosivo da chuva.

Para o técnico Guilherme de Freitas, a aplicação dessas tecnologias são essenciais para o semiárido, onde há dificuldade de produção por causa da deficiência hídrica. Segundo ele, com o iLPF é possível articular culturas anuais de valor econômico com fontes alternativas de renda.

Guilherme Freitas

“O milho e o feijão, que foram testados aqui, ajudam na fixação biológica de nitrogênio no solo, dando maior proteção e são opções rentáveis ao produtor. Mas também é possível inserir culturas florestais para lenha e madeira, que podem ser outras fontes de renda. Além disso, o cultivo da gliricídia funciona como fonte de proteína com potencial para pecuária”, explicou.

Ele atua há um ano e meio no Senar, atendendo produtores de mel, que segundo ele, também podem ser beneficiados, já que algumas das culturas testadas, no Sistema apresentado em Alagoinha, também utilizam plantas de potencial melífero, como a sabiá e a moringa.  

Durante a abertura do evento, o superintendente do Senar, Sérgio Martins, destacou que só a educação é capaz de transformar o campo e que esse é o papel da instituição: mostrar ao produtor as alternativas que podem dar certo.

Sérgio Martins

“São tecnologias simples, que precisam ser replicadas com os nossos produtores. O que acontecerá quando nós mostramos os ganhos não só na área econômica, como na questão de produtividade, mas também o melhoramento do solo, do meio ambiente, conforto técnico para os animais”, resumiu o superintendente.

Os estudos apresentados foram desenvolvidos pela Embrapa e Empaer. “Para nós essa é uma ação muito importante, pois mostra o que há de mais moderno em tecnologias de produção animal”, explicou o chefe do Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural, Gabriel Petelinkar.

Gabriel Petelinkar

O engenheiro agrônomo André Dantas é um dos novos técnicos de campo contratados pelo Senar e acredita que a gestão aliada às boas práticas ambientais sugeridas pelo o sistema iLPF podem representar a melhoria das condições de vida da população do campo.

“O Senar veio mostrar para gente alternativas que dá para implantar sustentabilidade no campo, de acordo com o tripé economicamente viável, ecologicamente correta, socialmente justa. Fazendo iLPF a gente consegue dar maior renda para o produtor e fazer ele ter uma vida justa e digna”, afirmou.

André Dantas

Além da equipe do Senar, também participaram do evento outros técnicos das instituições parceiras, além de representantes do Ministério da Agricultura e produtores rurais.

Assessoria de Comunicação Sistema Faepa/Senar-PB
(83) 3048-6050 / (83) 3048-6073
facebook.com/faepasenarpb
instagram.com/faepasenarpb
senarpb.com.br