Área Restrita

Notícias

Imprimir Indicar

Programa Leite da Paraíba

Publicado em 16-12-2008

Este investimento não pode ser perdido.

O Programa Leite da Paraíba é o mais importante programa já implantado no Estado, pelo grande volume de investimento realizado em uma cadeia produtiva.

         O Programa, que garante a compra diária de 120.000 litros de leite diretamente da agricultura familiar e a distribuição às pessoas de menor poder aquisitivo em todo o Estado, injetou, no período de 2004 a 2008, cerca de R$ 250 milhões na economia local e regional, com a participação direta de quase 8.000 produtores rurais e de 27 pequenos e médios laticínios.

         Além disso, o Programa vem incentivando o associativismo, contribuindo para o melhoramento genético do rebanho e enfatizando sobre a importância da sanidade animal. Proporcionou também a realização de um grande programa de capacitação da mão-de-obra rural e de modernização das usinas e laticínios, além de trazer benefícios para o comércio de uma maneira geral. Uma cadeia inteira movimentada basicamente por um programa.

         Quando falo de R$ 250 milhões investidos, falo apenas no dinheiro injetado diretamente na conta dos produtores e dos laticínios pela aquisição e beneficiamento do leite; os resultados produzidos, no geral, são ainda maiores! O programa fez com que o Estado da Paraíba, que era tido como um estado com pouca aptidão para a produção leiteira, se tornasse um Estado produtor de leite. E um produtor de qualidade, pois o leite atualmente produzido aqui é considerado um dos melhores do Nordeste. Estes resultados desmistificaram o conceito que as pessoas tinham: que produzir leite na Paraíba era loucura!

         Hoje, mais de 500 mil pessoas estão envolvidas, direta e indiretamente com o Programa. Produtores rurais, associações de produtores, técnicos em geral, beneficiários consumidores, além de instituições diversas como a FAEPA, SENAR, SEBRAE, EMATER, FETAG, SENAI, OCB/SESCOOP, SEBRAE, entre outras, que vestiram a camisa do programa e investiram em organização de produtores, capacitação de mão de obra e melhoramento da qualidade do leite.

         Este investimento não pode ser perdido. Os produtores acreditaram, investiram e dependem do programa para continuarem na atividade, até que possam se estruturar melhor para enfrentar o mercado aberto. O trabalho realizado ao longo desses quatro anos não pode ser desprezado.

         O que vejo hoje é uma estagnação do Programa, um congelamento no preço do leite. Diversos setores tiveram reajustes consideráveis, enquanto o preço do leite não sofre reajuste desde o início do Programa, o que deixa o produtor rural em uma desvantagem muito grande, com custo de produção superior ao da venda.

         Salários e encargos, preço de combustível (diesel teve aumento de mais de 43%), energia elétrica (aumento de 66%), insumos (sal mineral teve aumento de 78,36%), produtos veterinários, entre outros, sofreram reajustes. No início do Programa, um produtor de leite precisava de 40 litros de leite para comprar um saco de sal mineral, hoje, ele precisa de mais de 70 litros de leite para adquirir o mesmo produto.

         O Programa está perdendo forças. Já é percebido um desvio da produção para o mercado aberto, que está pagando R$ 0,80 por litro de leite contra os R$ 0,70 pagos pelo Programa. A promessa é de um possível reajuste apenas em Julho de 2009 (após levantamento que será realizado por uma empresa de consultoria contratada pelo Ministério de Desenvolvimento Social - MDS).

         Por isso, chamamos a atenção de todos para a importância e a dimensão do Programa Leite na Paraíba. Todos devem se envolver, não só o setor rural. A luta pela continuidade do Programa deve ser de todos, dos produtores rurais, das associações, das instituições envolvidas, dos laticínios, das agroindústrias, das revendas de produtos veterinários e ração, que estão vendendo mais, da imprensa (televisões, rádios e jornais), dos nossos políticos, das empresas realizadoras de leilões de animais e, principalmente, das famílias que estão recebendo diariamente o leite produzido pelo programa.

         O programa, além movimentar toda uma cadeia produtiva e boa parte da economia do estado, é também um programa de cunho social importantíssimo, pois conseguiu trazer esperança e novos recursos para o campo. O êxodo diminuiu e as pessoas retornaram às suas propriedades para trabalhar; crianças sendo alimentadas por um produto sadio e de elevada qualidade nutricional; redução das taxas de desnutrição (- 3,7%) e mortalidade infantil (queda de 20%), dentre outros benefícios.

         Precisamos despertar e formar uma corrente consciente e responsável para lutar sempre, e não somente pelo Leite, mas pelo setor rural em geral. Temos que estar informados, buscar sempre novas tecnologias, novos investimentos, novos mercados.

         2008 foi um ano de muitos acontecimentos e de importantes realizações para o setor rural. Foram inúmeros eventos, reuniões, encontros, palestras e projetos. A cada dia nos conscientizamos mais da importância do setor e o espaço que ele vem ganhando em nosso Estado. Nosso desejo para 2009 é que o trabalho aumente, as oportunidades sejam maiores e que possamos continuar esta luta, que afinal é a nossa razão de ser e de viver.

 

Mário Borba


Mais Notícias