28 de janeiro de 2013

Agricultura gera quase cinco mil novos empregos em 2012


Ascom Senar-PB

A Agricultura gerou 4.976 novos postos de trabalho com carteira assinada em 2012, o que representa um crescimento de 0,32% em relação a 2011. Os dados foram divulgados nesta sexta, dia 25, pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que captou as informações do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Considerando todos os segmentos, o Brasil criou 1.301.842 empregos, crescimento de 3,43% em relação ao estoque de empregos de dezembro de 2011.
O aumento teve origem do saldo de 21.619.521 admissões contra 20.317.679 desligamentos. Os dados demonstram uma continuidade do movimento de expansão do emprego formal no país, ainda que tenha ocorrido uma redução do ritmo de crescimento quando comparado aos anos anteriores.
Os oito setores de atividade econômica levantados pelo Caged tiveram aumento de emprego, com exceção dos Serviços de Utilidade Publica, com 10.223 postos (2,71%). Serviços gerou 666.160 postos (4,32%), Comércio, 372.368 postos (4,38%), Construção Civil, 149.290 postos (5,17%), Indústria de Transformação, 86.406 postos (1,06%), Extrativa Mineral, 10.928 (5,28%) e Administração Pública, 1.491 (0,19%).
Segundo análise por recorte geográfico, os dados também revelam a expansão generalizada do emprego em todas as grandes regiões. O Sudeste obteve 655.282 postos (3,20%), o Sul, 234.355 postos (3,41%), o Nordeste, 190.367 (3,15%), o Centro-Oeste, 150.539 (5,33%) e o Norte, 71.299 postos (4,20%).
Os Estados que mais geraram empregos em 2012 foram: São Paulo, com 336.398 novos postos (2,77%); Rio de Janeiro, com 148.797 postos (4,17%); Minas Gerais, com 145.292 (3,61%); Paraná, com 89.139 (3,56%); e Rio Grande do Sul, com 81.804 (3,23%).
Fonte: Agrosoft Brasil