21 de fevereiro de 2013

Articulação e capilaridade abrem espaço para o SENAR


Ascom Senar-PB

“O SENAR está sendo muito procurado porque possui grande capacidade de articulação e capilaridade.” A afirmação é do secretário Executivo Daniel Carrara que, junto com o vice-presidente da CNA, João Martins, abriu os trabalhos do Encontro de Superintendentes do SENAR 2013, que começou nesta quarta-feira (20/02),na sede do Sistema CNA/SENAR, em Brasília.
O encontro tem a participação das Administrações Regionais e debate pontos importantes para ampliar a atuação do SENAR no País. O secretário apontou a necessidade de ações mais completas e o acesso à tecnologia como itens importantes a serem solucionados pela entidade a médio prazo. Segundo Daniel Carrara, o SENAR está numa nova fase e por isso precisa reforçar as equipes técnicas e fechar novas parcerias.
“A fase atual é estruturante e para conseguirmos avançar precisamos de equipes muito bem preparadas para assumir o meio de campo e atender bem, e melhor, o nosso cliente. Os desafios são grandes, mas confio no nosso time”, afirma Daniel Carrara.
Na sequência, a chefe do Departamento de Educação Profissional e Promoção Social (DEPPS) da Administração Central, Andréa Barbosa, apresentou aos superintendentes os programas desenvolvidos pelo departamento. Além de novas capacitações para instrutores dos programas Com Licença Vou à Luta e Negócio Certo Rural, Andréa falou dos novos projetos para 2013:
Leite Legal – Segundo a chefe do DEPPS, com o programa, realizado em parceria com o Sebrae Nacional, o SENAR vai capacitar 81 mil produtores, em dois anos, por meio de treinamento teórico de 16h, formando 5.400 turmas. As primeiras etapas do programa serão o nivelamento técnico e metodológico de instrutores e gestores e a parceria com as indústrias de laticínios. Elas é que vão definir em cada estado quais propriedades participarão da capacitação.
O treinamento vai dar ao produtor rural as informações necessárias para que ele atenda as exigências legais de qualidade do leite produzido. “O grande diferencial do Leite Legal é a comprovação do resultado da capacitação na propriedade,” destaca o secretário executivo Daniel Carrara.
A presidente do Sistema CNA/SENAR, senadora Kátia Abreu, fez uma rápida passagem pela reunião dos Superintendentes do SENAR, e aproveitou para ressaltar a importância dos cuidados com o leite e enfatizar 2013 como o Ano do Leite no Brasil.
“Precisamos dar maior atenção ao leite, porque é ele que gera parte da renda da propriedade e ajuda o produtor a pagar as despesas no final do mês,” destacou.
Ao pedir empenho dos superintendentes na execução do Pronatec, Kátia Abreu disse que vai se reunir com o ministro da Educação para solicitar a criação do curso Qualidade do Leite, dentro do Pronatec. “Precisamos fazer com que o nosso leite melhore de qualidade e custo de produção.”
Capacitações Tecnológicas – Desde 2011 o SENAR realiza capacitações em algumas cadeias produtivas. De acordo com a chefe do Departamento de Educação Andréa Barbosa, para 2013 está prevista a realização de novos cursos nas áreas de suinocultura, bovinocultura de corte e integração lavoura-pecuária-floresta. Até o momento, o SENAR ofertou a capacitação nas áreas de piscicultura, bovinocultura de leite, ovinocultura de corte, silvicultura, heveicultura e de floricultura, que está no 2º módulo. Todos os treinamentos são realizados em parceria com instituições do setor e gravadas em vídeo para oferta à distância por meio do Portal EaD SENAR.
Agricultura de Precisão – Na área de AP, as ações vão continuar com a apresentação do programa desenvolvido pela Administração Central às regionais, nivelamento técnico e metodológico dos instrutores que ministram cursos na área, assim como novas parcerias com empresas do setor. No momento, o SENAR elabora as cartilhas de AP, material que está sendo padronizado com auxílio do SENAR Rio Grande do Sul para ser disponibilizado para todo o País. Em 2013, o SENAR dará continuidade aos seminários de agricultura de precisão nos estados, para informar os produtores rurais sobre as tecnologias e modelos de gestão de agricultura de precisão, que aumentam a produtividade, a renda e preservam o meio ambiente.
Plano ABC – O SENAR está elaborando um projeto em parceria com o Ministério da Agricultura e o Banco Mundial para capacitar produtores rurais na aplicação de técnicas do Programa Agricultura de Baixo Carbono (ABC). As capacitações vão acontecer em áreas como plantio direto, florestas plantadas e recuperação de pastagens degradadas. A meta é capacitar instrutores, técnicos, projetistas, demais agentes envolvidos e posteriormente os produtores rurais. “Precisamos garantir a aplicação das técnicas do Plano e utilizar as linhas de crédito previstas no Programa ABC. Além disso, vai ser um desafio interno para o SENAR manter esse relacionamento com o Banco Mundial”, afirma Daniel Carrara.
Pronatec – A chefe do DEPPS Andréa Barbosa apresentou também aos superintendentes os números do SENAR no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico em Emprego (Pronatec). De acordo com ela, estão aprovadas pelos parceiros demandantes 45 mil vagas para 2013 em todas as regiões do País. As novas turmas dos cursos, que possuem no mínimo 160h, têm a previsão de começar no próximo mês de março. Os 10 mais procurados pelos demandantes são Bovinocultura de Leite, Horticultura Orgânica, Fruticultor, Auxiliar Administrativo, Piscicultura, Operador de Máquinas e Implementos Agrícolas, Bovinocultura de Corte, Apicultor, Avicultor e Preparador de Doces e Conservas.
“O Pronatec é um projeto educacional diferente do que estamos acostumados a lidar. Precisamos considerar o público: jovens que estão prontos e disponíveis dentro das salas de aulas. É um desafio para nós,” acredita o secretário executivo do SENAR.
Durante a reunião, os superintendentes também conheceram a nova série metodológica do SENAR e a rede E-Tec SENAR, que será mais um canal de acesso do homem do campo à educação profissional. A E-tec SENAR prevê a criação de 20 mil vagas, numa rede de 100 polos. O modelo adotado será o semi-presencial. O curso Técnico em Agronegócio vai ser o primeiro ofertado, com três módulos e estágio curricular. Com maior carga de atividades práticas, a intenção do SENAR é criar a máxima interação possível entre os alunos e desenvolver um calendário compatível com a realidade do campo.
A entidade deve fechar parcerias com sindicatos e escolas rurais, assim como propriedades e fazendas-modelo para a criação dos polos de apoio e locais para as aulas práticas. “A educação à distância possibilita ampliar a oferta de capacitações no campo, dando mais oportunidades ao homem do campo”, frisou o coordenador de Educação Formal do SENAR, Fabiano Bossle Miguel.
A reunião dos superintendentes do SENAR segue até esta quinta-feira, 21.

Fonte: Assessoria de Comunicação do SENAR