24 de agosto de 2017

Assistência Técnica e Gerencial será o principal produto dos sindicatos rurais brasileiros


Ascom Senar

daniel-carrara

Daniel Carrara, secretário-executivo do SENAR

“Não tenho a menor dúvida que a Assistência Técnica e Gerencial, com implementação tecnológica e melhoria da rentabilidade, vai ser o principal produto dos sindicatos rurais em todo o País”, afirmou o secretário executivo do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), Daniel Carrara, durante o 3º Fórum da Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) que acontece até esta quarta-feira (23) em Brasília.

O evento reúne gestores e coordenadores de ATeG de todo o Brasil para tratar da implantação do novo Sistema de Monitoramento de Assistência Técnica, o SISATeG. O novo sistema vai elencar dados importantes para auxiliar o SENAR a aumentar a qualidade dos serviços prestados pela Assistência Técnica e Gerencial entregue ao produtor rural.

“O sistema de inteligência se faz necessário porque ele garante além da gestão da ATeG, a de indicadores. É um sistema novo e moderno, que vai gerar uma série de dados que serão usados pela nossa entidade e pelas instituições públicas tomadoras de decisão”, acrescenta Daniel Carrara. “Com esses dados, a ATeG vai colocar o produtor dentro do sindicato rural. Não tem serviço melhor que o sindicato pode prestar a ele. Quando você leva um técnico qualificado para atendê-lo, o produtor vem. Independente de qualquer coisa, porque o produtor está interessado em ter tecnologia e renda.”

Matheus Ferreira

Matheus Ferreira

O coordenador de ATeG do SENAR, Matheus Ferreira, reforça o que foi dito pelo secretário executivo sobre a importância da geração de dados para ampliar a prestação de serviços da AteG ao produtor.

“Nós acreditamos que essa prestação de serviço precisa ter mais informações para ajudar o produtor rural na tomada de decisão e a central de inteligência terá esse propósito. É o dado individual que vai fazer o produtor evoluir. Porém, nada mais natural que os dados consolidados e compilados possam subsidiar informações de um estado, de uma região, país ou de uma cadeia produtiva. A central de inteligência vai conseguir, como ganho secundário da Assistência Técnica, subsidiar a tomada de decisão mais macro das cadeias produtivas para podermos saber onde precisamos melhorar para atender o sistema produtivo como um todo.”

ateg

João Paulo Pereira, supervisor de ATeG no Senar Paraíba (à direita, na primeira fila)

Os supervisores e coordenadores dos estados comemoram o novo sistema e contam que a novidade vai dar suporte na identificação das necessidades dos produtores de cada estado. “O software ira ajudar os técnicos de campo, supervisores e coordenadores na coleta de informações, gestão e acompanhamento da evolução das propriedades rurais. Tudo pensando na qualidade da ATEG do SENAR e na melhoria das atividades agropecuárias dos produtores mantendo-os produzindo com qualidade”, afirma João Paulo Pereira, supervisor de ATeG no SENAR Paraíba.

marina-urtA coordenadora de ATeG do SENAR Mato Grosso do Sul, Mariana Urt, destaca o cruzamento de informações e as formas de coleta de dados que foram melhorados no novo software. “Ficou uma plataforma mais amigável, autoexplicativa e vai facilitar para o técnico coletar esses dados de forma que ele minimize os erros nos lançamentos. Além disso, a grande vantagem dessa plataforma é que ela vai possibilitar, a partir dos dados coletados, informações de avaliação de desempenho das propriedades e dos grupos atendidos para que a gente possa tomar decisões mais estratégicas e assertivas com base nos dados reais das propriedades.”

Futuro da Assistência Técnica e Gerencial

seminario-ateg3O secretário executivo do SENAR, Daniel Carrara, é categórico quando questionado sobre o futuro da ATeG: o foco será investir mais na capacitação dos técnicos de campo em conhecimento gerencial e tecnológico, maior aproximação com as instituições de pesquisa como a Embrapa e a ampliação da oferta de ATeG no País.

“Há muitos órgãos interessados na nossa metodologia, avaliando os três anos que ofertamos ATeG com produtores com resultados maravilhosos de produtividade e rentabilidade. São instituições nacionais e internacionais interessadas em parceria com o SENAR para aumentar esse número de propriedades atendidas. Temos hoje no País aproximadamente 1,2 milhão de propriedades que já estão no ponto de receber uma proposta como essa e hoje o SENAR atende 60 mil produtores. Então, tem muita coisa ainda a ser feita.”

Assessoria de Comunicação do SENAR
Fotos: Wenderson Araujo e Fábio Porto
(61) 2109-4128
www.senar.org.br
www.facebook.com/SENARBrasil
www.twitter.com/SENARBrasil
www.canaldoprodutor.tv.br