3 de março de 2016

SENAR e governo dos Estados Unidos exploram parcerias em assistência técnica


Ascom Senar-PB

O Secretário Executivo do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), Daniel Carrara, e o vice-presidente da Federação da Agricultura e  Pecuária da Bahia (FAEB), Humberto Oliveira, e representantes do Departamento da Agricultura dos Estados Unidos se reuniram por mais de três horas, nesta quarta-feira (02/03), em Washington,  para avaliar possibilidades de parcerias na assistência técnica entre os dois países.

O diretor do Centro de Programas Internacionais da National Institute of Food and Agriculture (NIFA),  Otto J. Gonzales, juntou toda a diretoria para receber a visita dos brasileiros. No encontro, ficou definida a criação de um grupo de trabalho para a troca de tecnologias e de técnicos de nível de médio e superior, a fim de unir esforços para aumentar a produção de alimentos e evitar a queda de produtividade da agropecuária com o advento da mudança climática.

Participaram também da reunião de trabalho o adido cultural agrícola lotado na Embaixada Brasileira em Washington, Luis Caruzo, Kevin McCaffrey, do Brazilian Desk do USDA, e Michael J. McGirr, líder dos programas do Departamento.

Daniel Carrara e o diretor de programas do NIFA, Otto J. Gonzales

Daniel Carrara e o diretor de programas do NIFA, Otto J. Gonzales

Maiores produtores mundiais de alimentos, Brasil e Estados Unidos possuem programas similares de assistência técnica aos produtores. O sistema norte-americano data de 1862, quando o governo delegou às universidades de todos os estados esta função. No Brasil, com a metodologia de Assistência Técnica e Gerencial, com foco em gestão, o SENAR está alcançando um número significativo de produtores, em tempo recorde, mas precisa de mais recursos para ampliar esta atuação.  “O Brasil tem números impressionantes e é de nosso interesse promover esta colaboração”, frisou Otto J. Gonzales.

“É interessante notar que nos dois países a assistência técnica está se tornando uma formidável via de introdução dos diversos programas mundiais de combate à fome e redução dos riscos do aquecimento global, que se dá com o aumento da produtividade e da renda dos agricultores”, ressaltou o Secretário Executivo do SENAR.

Parceria em educação

Possíveis parcerias na área de educação também surgiram no encontro com o diretor do NIFA, que desenvolve diversos programas. Daniel Carrara destacou dois, um de bolsas de estudo  para estudantes de língua hispânica e outro com foco em melhorias no ensino técnico. “Essa estratégia, nova aqui nos Estados Unidos,  coincide com a nossa de investimentos no ensino técnico, com educação a distância e atividades práticas em polos de apoio presencial, propriedades e agroindústrias.”

O SENAR vai procurar conhecer melhor os programas para fazer uma proposta de interação. Segundo Carrara, a diferença dessa parceria é que deve ter algum benefício para os EUA.  “A gente vê uma grande possibilidade de interação via Faculdade de Tecnologia CNA,  em relação a estágios e bolsas de pesquisa, de intercâmbio de alunos e professores.”

O NIFA desenvolve, ainda, um programa de formação para novos  fazendeiros voltado para pessoas que querem empreender no setor, não necessariamente jovens, e para aquelas que estão há pouco tempo, a menos de 10 anos trabalhando com agropecuária. “Apesar de não ter limite de idade,  uma das intenções do programa é renovar os fazendeiros nos EUA,  que tem média de idade de 58 anos” acrescentou o Secretário Executivo do SENAR.

img-20160302-wa0006_interna2

 

Daniel Carrara e Humberto Oliveira também visitaram a sede do Banco Mundial, nesta quarta-feira,  onde conversaram com Nathan Engle e Ana Elisa Bucher, especialistas em mudanças climáticas, sobre formas de ampliar os atuais programas de monitoramento do clima na região do Nordeste brasileiro.

Outra reunião dos brasileiros foi com a Diretora Executiva da FFAR – Foundation for Food and Agriculture Research, Sally Rockey, com vistas a financiar programas de inovação no setor agropecuário brasileiro para aumentar a produção de alimentos no País.

 

Assessoria de Comunicação do SENAR
Cobertura especial: Pedro A. L. Costa
(61) 2109-1379
www.senar.org.br
www.facebook.com.br/SENARBrasil
www.twitter.com/SENARBrasil