17 de dezembro de 2012

Senar vai levar mais tecnologia para as classe C e D


Ascom Senar-PB

“Estamos nos preparando para mudar a capacitação tecnológica no campo. Detectamos que 80% dos insumos tecnológicos foram usados pela classe A e B rural. Precisamos dar mais oportunidades para a Classe C e D”, disse a presidente da CNA e presidente do Conselho Deliberativo do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), senadora Kátia Abreu, durante entrevista coletiva de balanço e perspectivas para 2013.
O Secretário Executivo do Senar, Daniel Carrara, explica que existe uma enorme demanda de capacitação dos técnicos que levam o conhecimento para o campo. “Estamos montando um modelo com a ajuda dos sindicatos rurais, baseado em meritocracia, que será mensurada pelas transformações que o técnico realizar no grupo de propriedades rurais em que trabalha”, conta.
Dados do Censo Agropecuário 2006 demonstram que apenas uma pequena parcela (9,32%) do universo total de produtores brasileiros recebeu assistência técnica regularmente, indicando a deficiência do atual modelo. A falta de uso da tecnologia nas classes C e D também foi detectada na Pesquisa sobre a Classe C brasileira, encomendada pela CNA e apresentada em novembro de 2011.
“Desde a divulgação da pesquisa, estamos trabalhando para dar melhores condições de produção para as classes C e D. Além da extensão rural, implementamos um importante projeto neste ano de 2012 pela melhoria da qualidade do leite, que é o Programa Leite Legal”, comenta Daniel Carrara.
O Programa Leite Legal vai capacitar profissionais que atuarão diretamente com os produtores de leite. Em parceria com o Sebrae, o Senar vai capacitar 11 multiplicadores, que serão responsáveis pela formação dos instrutores estaduais, e montar mais 11 turmas para treinar instrutores das administrações regionais. A meta é capacitar 200 instrutores para atender 81 mil produtores rurais, em dois anos.
O Senar também está preparando uma cartilha com informações sobre higiene, ordenha, refrigeração e conservação, transporte, análise do leite e dicas sobre a indústria de laticínios.

Fonte: Agência CNA