22 de janeiro de 2014

Cartilha orienta pequenos produtores sobre adubação verde


Ascom Senar-PB

O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) disponibilizou para os pequenos produtores rurais uma cartilha que ensina como empregar as plantas da família das leguminosas como plantas adubadoras em uma técnica conhecida como adubação verde – clique aqui para baixar a publicação. O adubo verde pode reduzir ou até eliminar a necessidade do uso de fertilizantes minerais nitrogenados para produção de hortaliças folhosas como a alface, coentro e cebolinha, em solo de várzea, diminuindo os custos de produção.
A publicação é denominada Leguminosas para Adubação Verde na Terra Firme e na Várzea da Amazônia Central — Um Estudo em Pequenas Propriedades Rurais em Manacapuru. Resulta de trabalhos realizados pelo pesquisador Luiz Augusto Gomes de Souza, por meio do projeto Práticas Agroflorestais para a Sustentabilidade de Sistemas de Produção Familiar na Amazônia, da Coordenação de Sociedade, Ambiente e Saúde do Inpa.
De acordo com o pesquisador, que é doutor em botânica, o agricultor amazonense ainda não conhece bem a prática e o conceito do emprego de plantas adubadoras, que é mais praticado em outras regiões do Brasil. Envolvendo agricultores das comunidades do Paraná do Supiá e do Ramal Boa Esperança, localizadas em Manacapuru (AM), foram identificadas as leguminosas (também chamadas fabáceas) mais frequentes nas áreas visitadas.
A cartilha reúne informações gerais e agronômicas sobre dez espécies de leguminosas que podem ser utilizadas como plantas adubadoras. Dentre elas estão algumas muito conhecidas pelos agricultores, como o ingá-cipó, o mata-pasto e o mulungu. Outras são menos conhecidas e a cartilha traz ilustrações sobre as espécies para auxiliar o agricultor a identificá-las no seu sítio. Leia mais.
Fonte: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia