22 de outubro de 2012

Cultura de sisal tem cenário promissor no NE brasileiro


Ascom Senar-PB

A Cultura do sisal passa por um momento de dicotomia. Enquanto há queda na produção, no Nordeste este ano tem-se um cenário de crescimento do consumo. Por isto, a Conab está disponibilizada em seu site uma análise de mercado para o sisal da região, que vive um momento de crise, mas com a possibilidade de aumento de consumo em um novo arranjo produtivo.
O trabalho é do técnico da área de Gestão da Oferta da Companhia (Sugof), Ivo Naves. A queda sistemática na produção se deve aos baixos preços pagos ao produtor e o agravante da seca que assolou o Nordeste este ano. Entretanto, será implantado um novo arranjo produtivo local, com a possibilidade de aproveitamento de 100% da planta, contra os 4% atuais, e sua utilização, em grande escala, como geotêxteis e termoplásticos, nas indústrias automobilística, naval, moveleira e da construção civil.
Frente a este cenário, Naves acredita numa geração de melhor renda e aumento de empregos no semiárido brasileiro, “onde impera a pobreza e a carência e indica que o Governo deve priorizar uma política de continuidade, expansão e melhoria da competitividade da cultura, com adoção de políticas conjunturais e estruturais”.
Um dos caminhos é o Prêmio para Escoamento de Produto (PEP) e as Aquisições do Governo Federal (AGF), operacionalizados pela Conab/Ministério da Agricultura, para a sustentação da renda do pequeno agricultor familiar do sisal, viabilizando o escoamento da produção e as exportações dos subprodutos da fibra.

Fonte: Mapa