6 de junho de 2016

Programa ProSavana terá novas ações do SENAR Brasil nos próximos meses


Jocélio Oliveira

Missão conjunta de Moçambique e do Japão foi recebida na entidade e participou de uma visita a um núcleo rural próximo a Brasília

Criado em 2009 com a intenção de aumentar a produção de alimentos em Moçambique, o Programa de Desenvolvimento da Agricultura das Savanas Tropicais de Moçambique (ProSavana) receberá novas ações do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR). Um treinamento para o repasse da metodologia da entidade para instrutores e mobilizadores e nivelamento técnico deverá ocorrer no país africano nos próximos meses.

Nesta quinta-feira (2/6), uma missão conjunta de coordenação e monitoramento formada por representantes do governo de Moçambique e da Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica) – parceiros do SENAR no programa – participou de uma agenda de atividades organizada pela entidade. A programação começou com uma visita à sede do SENAR, onde o grupo assistiu a uma apresentação institucional e palestras sobre a Assistência Técnica e Gerencial (ATeG), produção de cartilhas e departamento sindical.

O secretário executivo do SENAR, Daniel Carrara, fez uma rápida retrospectiva do programa e destacou as visitas técnicas que já foram realizadas para transmitir conhecimentos sobre produção e metodologia de educação rural para os moçambicanos. Segundo ele, a entidade vem permanentemente buscando acompanhar o desenvolvimento do setor agropecuário brasileiro e, para isso, implementou duas ações importantes: a ATeG e cursos de ensino formal de nível médio e superior.

“Vemos uma grande possibilidade de interação dessas iniciativas dentro do ProSavana, principalmente a educação formal a distância. Precisamos pensar em uma educação voltada para a geração de renda, porque tecnologia sem geração de renda não faz sentido. Ficamos muito satisfeitos com a retomada do programa e queremos ajudar os nossos amigos de Moçambique a ter uma agropecuária forte também”.

O embaixador de Moçambique no Brasil, Manuel Lubisse, agradeceu o apoio do SENAR e ressaltou que a retomada do programa oferecerá uma nova dinâmica para a conclusão das etapas previstas. Na opinião do diretor geral do Departamento de Desenvolvimento Rural do Jica, Makoto Kitanaka, o sucesso de qualquer iniciativa passa pela educação dos indivíduos e pelo desenvolvimento das instituições envolvidas para que alcance toda a sociedade.

“No ProSavana, as ações de cooperação com o SENAR são muito importantes para obtermos esse mesmo objetivo. Ao invés de fazer cooperação unilateral entre Japão e Brasil, temos cooperação entre as três partes. Uma cooperação onde todos ganham e ganharão. No futuro, teremos como resultado o desenvolvimento não só desses países, mas do mundo todo”, prevê Kitanaka.

Experiência prática

Os participantes da missão também tiveram a oportunidade de conhecer uma propriedade rural familiar no Núcleo Rural Taquara, em Planaltina (DF), e visitaram a sede da Cooperativa Agrícola da Região de Planaltina (Cootaquara). Na área de 15 hectares do agricultor João Generoso Caixeta Filho – onde são cultivados pimentão, tomate e berinjela -, os moçambicanos e japoneses visitaram estufas de produção e esclareceram dúvidas sobre comercialização, organização da propriedade e modelo produtivo da região, entre outros.

Além da equipe técnica do SENAR, o representante da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), vinculada ao Ministério das Relações Exteriores, João Carlos Soub, acompanhou a programação.

“Eles precisam ver algo próximo do que é possível e factível no país deles. Não adianta mostrarmos uma propriedade que utiliza maquinários, por exemplo. Eles ainda usam implementos como a “matraca”, uma sementeira manual. Não desconsideramos a experiência que eles já têm, mas queremos agregar novos conhecimentos aliados à tecnologias e manejos”, ressalta a assessora técnica do Departamento de Inovação e Conhecimento do SENAR, Iara Grillo, que já realizou capacitações em Moçambique.

Durante a visita à Cootaquara, o grupo participou de uma apresentação sobre a estrutura da cooperativa e pôde acompanhar como acontece o processamento de legumes na unidade. Fundada em 2001, a empresa tem 270 cooperados, 60 funcionários e comercializa 400 toneladas de produtos por mês.

“Essa troca de experiências é muito importante e creio que algumas tecnologias podem ser levadas para Moçambique, apesar da nossa realidade ser bastante diferente. Ficamos impressionados com o trabalho de capacitação que o SENAR faz e achei muito importante a ênfase na parte da gestão. O produtor precisa saber produzir para ganhar dinheiro e fazer a análise custo-benefício. Acreditamos que o ProSavana vai mudar a vida dos nossos camponeses”, revela o inspetor geral do Ministério da Agricultura e Segurança Alimentar de Moçambique (Masa), Félix Paulo.

ProSavana

Firmado em 2009, o programa é fruto de uma cooperação tripartite entre Brasil, Japão e Moçambique. A ideia é transferir métodos de conhecimento de pesquisa e tecnologia utilizados no Brasil e no Japão para que Moçambique possa explorar melhor suas áreas, como as savanas tropicais. As ações acontecem principalmente na região do Corredor de Nacala, nas Províncias de Cabo Delgado, Nampula, Zambézia, Niassa e Tete.

Desde o início das atividades, a entidade promoveu algumas visitas técnicas ao país africano para a realização de treinamentos para repasse da metodologia de formação profissional rural para instrutores e mobilizadores, além da divulgação de ações de promoção social. As áreas ocupacionais contempladas dentro do ProSavana são: manejo e conservação de solos; plantio direto; beneficiamento do milho, soja e cana de açúcar; criação de aves, suínos e caprinos e gestão e empreendedorismo.

 

Assessoria de Comunicação do SENAR

(61) 2109-4141

www.senar.org.br

www.facebook.com.br/SENARBrasil

www.twitter.com/SENARBrasil