18 de dezembro de 2020

Senar debate o futuro da agropecuária no 1º dia do Agrotech


Ascom Senar

O Senar Paraíba realizou nesta quinta-feira o primeiro dia de atividades da terceira edição do Agrotech. Na programação, o evento reuniu o diretor-geral do Senar Brasil, Daniel Carrara, o presidente do Instituto CNA, Roberto Brant, além do presidente do Sistema Faepa/Senar-PB, Mário Borba e do superintendente Sérgio Martins.

Ao longo das quase quatro horas de evento, os palestrantes discutiram, entre outros assuntos, a importância da adoção de tecnologias por parte do produtor rural, para que se mantenha na atividade agropecuária, como destacou Carrara.

Daniel Carrara, diretor-geral do Senar Brasil

“Não podemos fugir da tecnologia. Ou o produtor ingressa nesse ambiente ou ele está fadado a sair do mercado. Quando a gente fala em tecnologia, as pessoas logo pensam em grandes máquinas, grandes investimentos. Mas isso não é a realidade da maior parte do nosso pais Tecnologia é fazer certo de maneira adequada a sua realidade, visando renda”, defendeu.

Logo em seguida, o presidente do Instituto CNA, Roberto Brant, assumiu o desfaio de falar sobre o futuro do setor após a pandemia instalada pelo novo Coronavírus. Brant destacou que algumas ações de socorro do Estado brasileiro ajudaram a manter, e até mesmo ampliar, o consumo das famílias por alimentos. Mas que essa circunstância provavelmente não se repetirá em 2021.

“A depender do ritmo no qual a população brasileira será de fato imunizada, podemos acreditar que o 1º semestre de 2021 será parecido com o que houve este ano: abre e fecha da economia. Empregos perdidos este ano vão demorar a ser repostos, com isso, o consumo das famílias não vai crescer. A maior parte da produção agropecuária fica no mercado interno, então, teremos um 1º semestre de fraco consumo, que poderá se estender para o segundo”, resumiu

Mesmo diante desse cenário, o presidente do Sistema Faepa/Senar, Mário Borba, descreveu com otimismo o contexto da produção agropecuária paraibana. Ele destacou que a Paraíba conta com regiões muito ricas e diversas, de um Litoral /Zona da Mata úmidos ao Cariri e Sertão com baixos níveis de pluviosidade, mas todos com bastante potencial econômico.

Mário Borba, presidente do Sistema Faepa/Senar-PB

“Nós temos um setor sucroenergético forte, associado à produção de frutas aqui na região litorânea. Depois temos um Cariri forte na caprinovinocultura, pecuária de leite tradicional no Sertão, onde também há empresários rurais retomando a cadeia do algodão. Ainda contamos com a microrregião do Brejo onde há produção de cachaça cresceu e se consolidou. A Paraíba é estado promissor”, afirmou.

Todas essas cadeias e regiões são atendidas pelo Senar-PB, cujos resultados e iniciativas foram apresentadas pelo superintendente da instituição, Sérgio Martins. Ele destacou o crescimento do setor de educação formal e também da assistência técnica e gerencial e reafirmou o compromisso do Senar com a educação e capacitação dos produtores.

Sérgio Martins, superintendente do Senar-PB

“Estamos num segmento de oportunidades, pois produzimos aquilo que todo mundo precisa. Temos meta de aumentar a produção em 40% em dez anos e ela é possível de ser alcançada. Mas temos que ter compromisso de levar educação e mudar a cultura do produtor para que ele seja empreendedor, que via da sua propriedade e tenha recurso para manter a sua família”, concluiu

O evento se encerrará nesta sexta-feira (18). A transmissão será feita no canal do Sistema Faepa/Senar-PB no Youtube, a partir das 14h. Confira a abaixo a programação de hoje:

Assessoria de Comunicação Sistema Faepa/Senar-PB
(83) 3048-6050 / (83) 3048-6073
facebook.com/faepasenarpb
instagram.com/faepasenarpb

senarpb.com.br