4 de fevereiro de 2013

SENAR vai capacitar profissionais e produtores rurais


Ascom Senar-PB

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural vai realizar as capacitações do Plano de Agricultura de Baixo Carbono (ABC). Nesta sexta-feira (1º) o grupo de trabalho formado por técnicos do SENAR, Instituto CNA, Ministério da Agricultura e Embrapa se reuniram na sede do Sistema CNA/SENAR para tratar do projeto que financiará as capacitações. O documento deve ser apresentado ao Banco Mundial para liberação dos recursos.
Esse projeto vai atender 11 estados do Bioma Cerrado (Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Maranhão, Bahia, Piauí, Minas Gerais, São Paulo, Paraná e o Distrito Federal) num período de três anos, dentro de seis processos tecnológicos do Plano ABC: recuperação de pastagens degradadas, integração lavoura-pecuária-floresta, sistema de plantio direto, fixação biológica de nitrogênio, florestas plantadas e tratamento de dejetos animais.
A ideia inicial é realizar capacitações para os instrutores dessas áreas específicas que posteriormente vão capacitar os produtores rurais. A iniciativa pretende sensibilizar o produtor para que ele invista na sua propriedade com linhas de crédito especiais, de forma a ter retorno econômico mantendo o meio ambiente preservado.
“Queremos conhecer o SENAR para sabermos quais contribuições a entidade poderá dar ao projeto para atingirmos nossos objetivos, porque as capacitações precisam ser feitas visando as terminologias do Plano ABC”, afirmou Kátia Marzall, do MAPA.
Durante a reunião, a coordenadora da Área de Educação Inicial e Continuada, Fabiana Rezende, fez uma apresentação da metodologia do SENAR, das capacitações e dos projetos e programas realizados pela entidade. Também foi debatido o uso de material didático nas capacitações do ABC, que poderão ter como base as cartilhas dos cursos ministrados pelo SENAR.
“Nós queremos o SENAR nessas capacitações pelo conhecimento que a entidade tem de treinamento de mão de obra rural. O SENAR chega ao País inteiro, o seu poder de alcance dos produtores é muito grande, por isso poderá contribuir para que consigamos reduzir a emissão de carbono nas propriedades rurais”, destaca Rodolfo Oliveira, da Embrapa Sede.
O grupo deve se reunir na próxima semana novamente, momento em que o SENAR vai apresentar um cenário da capacidade que tem para atender o projeto, assim como a estratégia de ação para as capacitações que serão financiadas com os recursos do Banco Mundial.
“Esse projeto é importante porque é mais uma porta que se abre para dar visibilidade ao SENAR naquilo que é sua expertise, a formação profissional de produtores rurais. A oportunidade de trabalharmos em um projeto financiado com recursos de organismo internacional é muito bom porque divulga internacionalmente as atividades do SENAR e o credencia como uma das entidades de grande importância para a melhoria da produção rural no País,” acredita a coordenadora do projeto no SENAR, Edian Sinedino de Oliveira.

Fonte: Assessoria de Comunicação do SENAR