12 de julho de 2021

Sistema CNA/Senar apresenta projeto-piloto de Telemedicina para produtores do Agronordeste


Ascom Senar

Brasília (07/07/2021) – O Sistema CNA/Senar apresentou às Federações de Agricultura e Pecuária do Nordeste e de Minas Gerais, na terça (6), o projeto-piloto de Telemedicina que, nesse primeiro momento, irá beneficiar 25 mil propriedades rurais atendidas pelo programa Agronordeste e que recebem Assistência Técnica e Gerencial (ATeG) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar).

A iniciativa já está disponível e tem como finalidade melhorar a saúde dos produtores rurais do Agronordeste e seus familiares que, em muitos casos, estão distantes de postos ou unidades de saúde. Para isso, será oferecido acesso a atendimento médico através de videoconsultas feitas por clínicos gerais e especialistas em medicina de família.

Com essa medida, será possível reduzir o tempo de espera para atendimento e aumentar a disponibilidade de horários para consultas. Para a realização dos atendimentos foi contratada uma empresa especializada em telemedicina.

O Agronordeste é um plano de ação criado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) que é desenvolvido em parcerias como, por exemplo, a do Sistema CNA/Senar, que oferece ATeG aos produtores cadastrados no programa.

O diretor-geral do Senar, Daniel Carrara, destacou que a iniciativa vai envolver a cobertura de 100 mil vidas nesse primeiro momento. Segundo ele, a entidade já desenvolve programas de promoção social como o Saúde do Homem e da Mulher Rural, mas uma ação social desse tamanho e formato é inédita dentro do Sistema.

“Queremos resolver os problemas ou dar soluções de saúde para um grupo de produtores e suas famílias. Acreditamos que essa iniciativa poderá ser multiplicada para o resto do País e se tornar um grande serviço que o sistema sindical venha a prestar para os produtores rurais brasileiros”, afirmou.

Para o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb), Humberto Miranda, a ação beneficiará de forma transversal os participantes do Agronordeste e será uma oportunidade para transformar o Sistema, cada vez mais, em um agente prestador de serviços para os produtores.

“É um momento de transformação e de modificação que estamos passando, em virtude da pandemia, que nos levou a buscar soluções de tecnologia para resolver problemas dos produtores. A teleconsulta é um meio objetivo e eficiente deles resolverem seus problemas de saúde e terem acesso a uma saúde de qualidade mais rapidamente.”, declarou.

De acordo com a diretora de Educação Profissional e Promoção Social (DEPPS) do Senar, Janete Almeida, o projeto foi construído a partir da experiência do Senar na área de Promoção Social e levando em consideração as características do público rural.

“É importante dizer que a telemedicina tem caráter de saúde preventiva. Queremos que os produtores e seus familiares procurem o serviço não quando estiverem doentes. A nossa ideia é que eles procurem esse atendimento como uma forma de prevenção”, disse ela.

Janete também ressaltou a importância da participação e colaboração das administrações regionais e dos sindicatos rurais para a implementação da iniciativa, além dos técnicos de campo e dos supervisores de Assistência Técnica e Gerencial que serão “a ponte” até os produtores.

Mundial – Conforme o médico e consultor técnico da CNA para Telemedicina, Alberto Ogata, já existem projetos semelhantes na Austrália, China e Canadá, mas o serviço desenvolvido pelo Sistema CNA/Senar é exclusivo para o meio rural, com profissionais treinados para entender a linguagem e as particularidades desse público.

“Temos a chance de contribuir num processo que vai melhorar a saúde do produtor rural brasileiro. É um momento histórico e que pode fazer toda a diferença. Eu acho que o Senar tem a chance de ser um case mundial. Não há experiência com essa escala e estrutura no mundo”.

Na opinião dele, um dos pontos fundamentais para o sucesso da iniciativa será o relacionamento próximo entre os sindicatos rurais e as secretarias municipais de saúde, já que os casos que necessitarem de atendimento presencial serão encaminhados para o Sistema Único de Saúde (SUS).

A coordenadora de Formação Profissional e Promoção Social do Senar, Deimiluce Coaracy, explicou as estratégias de divulgação da telemedicina. Ela reforçou a necessidade de alinhamento entre os participantes e apresentou o guia e os materiais que serão disponibilizados com as informações e o fluxo de atendimento via 0800, Whatsapp e aplicativo.

“É mais uma prestação de serviço adequado ao nosso público final. A saúde tem sido um dos temas muito importantes do nosso Sistema e vamos empreender, cada vez mais, para que o nosso produtor tenha sempre qualidade de vida, que começa com saúde e bem-estar”, destacou Deimiluce.

O encontro virtual também contou com a participação de presidentes de Federações da Agricultura de estados do Nordeste, superintendentes regionais do Senar, diretores e assessores técnicos do Senar e representantes da empresa AsQ, parceira do Sistema CNA/Senar no serviço.

Quem quiser mais informações sobre como participar do projeto-piloto pode entrar em contato com as administrações regionais e os agentes de ATeG do Senar.

Assessoria de Comunicação CNA
Fotos: Rafael Osler
Telefone: (61) 2109-1419
flickr.com/photos/canaldoprodutor
twitter.com/SistemaCNA
facebook.com/SistemaCNA
instagram.com/SistemaCNA
facebook.com/SENARBrasil
youtube.com/agrofortebrasilforte